sábado, 11 de julho de 2015

Viver no campo

Olá meus queridos,


Estamos em pleno verão, faz calor, apesar de aqui pela costa de Lisboa, não tanto como no interior, dada a proximidade do mar. O sol brilha, céu azul, mas este ano, temos tido um convidado  inesperado e muito teimoso, um ventinho chato, e que por acaso, algumas vezes nos brinda com nevoeiros de areia que esse malandro traz do norte de África do Sahara.

Há dias estive numa casa rural. Adorei. E por isso pensei, vou fazer casas de campo para o blogue.
Já não suporto ouvir falar de crise, da Grécia, de deficit, de desemprego, etc etc etc...
Este verão decidimos por razões inerentes à vida familiar que não iríamos de férias fora, vão ser só uns dias para quebrar a rotina  e depois virá outra parte no final do verão.
Os preços de estadia nesta época são bárbaros e sendo preciso poupar, há que pensar de outro modo.
Vamos acreditar que em Outubro ainda estará bom tempo e que ainda dará para fazer praia e especialmente que eu esteja melhor, mas não estando o calor abafado de verão, melhor para mim. Depois....eu vivo perto da praia, posso ir a pé...seria idiota, estando com alguns problemas de saúde, ir para um local qualquer, quando a praia está a 800 metros.
Queria muito viajar, mas tendo tanta coisa pendente, não posso. Preciso pintar a minha casa antes do inverno.
Preciso arranjar a cozinha. Já vai para cinco anos que foi arranjada. Preciso de ter calma e tempo para mim. E tantas coisas pendentes que precisam ser tratadas. Nunca sabemos o dia de amanhã. Ter a vida organizada é uma prioridade, hoje.

 Devido a algum stress que tenho vivido  nos últimos tempos, tenho sofrido algum mau estar físico e a praia foi-me retirada. Lamento pela família. Mas, se não posso ir espojar-me ao sol, porque razão hei-de teimar  só para fazer agrado a alguém? Depois há o constrangimento de horários.
Vivi a minha vida condicionada por horários, sem poder dormir quando me apetecia, tantas noites revirando-me e passando de olho arregalado, no escuro do quarto quatro ou cinco horas e tendo de levantar cedo para ter tudo pronto para os filhos quando se levantassem e eu estar pronta e arrumada para seguir para o meu trabalho. Foi difícil e deixou sequelas e marcas. Hoje aprendo a viver apesar de ainda ter alguns constrangimentos e obrigações que já não deveria ter  na minha idade.
Finalmente começo a  pensar em mim, talvez porque até aqui  não tenha pensado, havia outras prioridades.

E depois essa coisa de a praia fazer melhor de manhã...o sol é o mesmo, tanto dá ao amanhecer como ao final da tarde, a posição do sol é que varia. Deixei de ligar a isso.
Só quero mesmo é conseguir dormir. E ao final do dia é bem sereno e o sol menos forte.
Precisamos quebrar rotinas, mas  este ano preciso essencialmente paz e serenidade. E preciso também alguns dias só para mim.
Não é uma questão de egoísmo, é uma questão de bem estar físico e mental, de conhecer os meus limites. Nós precisamos de apanhar 20 minutos de sol, por dia, pode até ser a caminhar....e se estiver bem, é bem melhor do que se estiver contrariada.
Por isso e por ter conhecido um sítio rural, resolvi fazer fotos de uma revista com casas de campo.
Uma das muitas que tenho e que até há tempos atrás, coleccionava. Só que espaço para colocar mais, começa a escassear. Depois ao analisar as mesmas, são muito semelhantes, algumas delas com fotos e artigos quase repetidos. Depois tantos de vocês hão-de reconhecer, com tanta disponibilidade em inúmeros sites e grupos, páginas, blogues que vivem fervilhando na net, a revista em papel, tem de ser a excepção, só se for muito boa. Tenho mais de  40 anos de revistas...acreditem!

Vejam só:

Quartos para nos inspirarmos. Acolhedores, cores sóbrias, românticos.Todos lindíssimos. Confesso que adoro o da cama de ferro.


Espaços para conviver e estar à mesa.


 Sempre adorei este estilo de cantinhos.














Espaço para estar e entrada

Portas abertas para a natureza e para a vida.




E até espaço para as crianças.



Sintam-se inspirados. Todas as imagens são da Revista de Decoração El Mueble.

Espero que gostem e que as sugestões sejam apetecíveis.



1 comentário:

Ana disse...

Fartei-me de babar com estas imagens não fosse eu uma galinha de campo

E tens razão não há nada que se compare à serenidade como te entendo! Bom fim de semana. Beijinhos