segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Não há decorações erradas ou certas

As decorações escandinavas são geralmente muito baseadas no branco. Porque parte do ano, estes países do norte da Europa ficam em semi penumbra, particularmente as regiões mais a norte. A latitude é muito baixa e por isso os raios de sol não têm reflexão  suficiente para iluminar os lugares. Por outro lado, têm fenómenos naturais, que nós nunca poderemos ver, a não ser que viajemos para aquelas paragens. Os "fogos de Santelmo ou as auroras boreais", espectáculos incríveis, de luz nos céus.
Contudo, há designers e agentes imobiliários, que usam decorações onde a base é o branco, mas pintalgadas de cor, com acessórios muito belos. Stadshem é um deles,  utiliza  elementos de cor que dão um toque especial. Particularmente estes dois apartamentos estão cheios de cor, com decorações jovens, mas utilizando alguns móveis usados. Este movimento está a alastrar por todo o mundo, usar-se móveis mais antigos, misturados com outros acessórios mais modernos e numa disposição muito inovadora.
Hoje vive-se por todo o mundo uma preocupação cada vez mais crescente de procura da preservação ambiental. Tem mais relevo talvez aqui no continente Europeu. Não nos podemos esquecer que a Europa está sobrepovoada, nós temos mais população do por exemplo os Estados Unidos que têm mais de três vezes a nossa área.
Precisamos que a natureza nos forneça oxigénio suficiente e precisamos acima de tudo preservá-la. Por isso muitas pessoas, não apenas jovens, mas pessoas de todas as idades, compram hoje, com mais facilidade do que em outros tempos, móveis usados que depois convertem, arranjam, pintam, transformam. O estilo "Flea Market" ou "marché aux puces", será mercado das pulgas, mas em Portugal utiliza-se o Feira da Ladra. Sei que no Brasil este movimento está com muita força e há imensa recuperação de tudo. Lá até as madeiras de demolição são reconvertidas, muito a exemplo do que se passa nos Estados Unidos e Canadá.
Aqui em Portugal já começam a aparecer lojas que vendem coisas utilizando estes termos, já existe no Porto e em Lisboa, pelo menos. O problema é que em muitos casos, os móveis são vendidos caríssimos e por exemplo na Grã-Bretanha, as lojas de caridade vendem por quantias quase irrisórias. Aqui perto de mim, em Carcavelos há uma casa, que é de uns ingleses, mas que não vende ao preço de Inglaterra, não, vendem não a preços exorbitantes, mas mais caro do que em Inglaterra. Adoro ir lá.

As fotos que vos queria mostrar...começo a escrever e não paro.Desculpem...





Ideias boas para copiar, porque todos temos  coisas destas em nossas casas.




Outro escadote mas pintado de azul escuro. São muito úteis para ter plantas em cima, revistas, quando se está a engomar, para colocar o cesto de roupa, etc. Boa ideia para pintar o meu escadote, já que endo em maré de pinturas...




Os móveis pernas de palito..



Simples e moderno, misturado com menos novo.







O escadote do IKEA (também tenho), pintado de azul como mesa de apoio, quando não está a servir.






Uma das coisas que ressalta, é que as casa não estão enfeitadas, mas são vividas, são usadas.
Não acham feio ter um armário com roupas e sapatos etc, com um cortinado como porta. Percebem o que quero dizer, não?  Adoro a ideia das paredes parcialmente forradas a madeira. Até com soalho flutuante se pode fazer este trabalho!!




Conforto mas sem luxos supérfluos.




Um espectáculo, usar aquela parede como se fosse uma galeria de arte.



 Móveis dos anos 50/60 do séc. passado. Reconvertidos, re-estofados, num novo conceito. Preservar o planeta.


Lembrem-se, o planeta não é nosso, tomamos de empréstimo dos nossos filhos e netos!!!



Num beliche muito alto, uma forte rede de protecção, assim podemos dormir descansados, porque a criança não vai cair.



Adoro este quarto de crianças. A  rede  de anteparo para que a criança não caia, o papel de parede florido mas suave, e a casa de bonecas com colchão onde se pode dormir a sesta ou fazer a festa do pijama.



As pastilhas apenas usadas onde a água pode entrar na parede, ideia visual de decoração, mas também, para poupar. Cada vez  se usam menos os azulejos e as pastilhas, porque o conceito de lar mudou e todas as divisões/salas/quartos etc,   acabam por estar interligadas pelo conceito que lhes deu inspiração.




Moderno, vintage e tapetes persas, como podem verificar, fica lindo e cheio de personalidade.  Não há decorações certas ou erradas e esse é o novo conceito. Tudo +é permitido e razoável. Tudo depende do que gostamos e onde nos sentimos bem.



Chão lindíssimo e papel de parede a ligar com ele., já que são árvores despidas.



São dois apartamentos num mesmo edifício. Como podem verificar, tudo o que pode ocupar espaço e impedir um fluir de circulação, como as estantes por exemplo, é tudo colocado e pendurado nas paredes.
Podem verificar a mistura de móveis, muitos do IKEA, bem como candeeiros, tapetes etc, misturados com peças vintage, no tal conceito dos Flea Market( mercado de usados ou mercado das pulgas)
Paredes claras, dando destaque para uma ou duas com papel de parede, que "casa" com o restante, zonas sem cortinados, para deixar a entrar a luz, um bem tão escasso e que dura tão poucas horas nestes países do Norte Europeu ( às 16 horas escurece), daí a enorme importância que é dado às janelas enormes, e à iluminação, que é quase uma obsessão.
Nestas lindas e muitas imagens, têm muitas ideias. Porque este é sem dúvida um dos melhores conceitos de decorações contemporâneas, com vida, cor, espaço , luz, muitas misturas de estilos e plantas sempre presentes, bem como flores.

Espero que tenham gostado e beijinhos. Até mais.


 Fonte: Stadshem

Sem comentários: