sábado, 5 de março de 2016

Ideias para arrumar os livros, revistas e tarecos

Bom dia amigos!! Feliz sábado.




Adoro o cheiro dos livros, dos novos e dos velhos. Leio desde criança e tenho muitos livros velhos. 

Confesso que arrumar livros não é coisa simples. Ainda não tive paciência para organizar os meus por tema e autor.
Não sei como se passa em casa de cada um de vocês mas em minha casa tenho muitas estantes.  A maioria de chão, mas também outras de parede.
Livros aos molhos e bibelots, fotos, recordações e muitas outras coisas.
Veja aqui algumas ideias para arrumar os livros e  revistas. Se for como eu, tenho revistas de crochet, moda, centenas de decoração e bricolage, arquitectura e desenho, trabalhos diversos e por isso tenho as estantes cheias. Para ser sincera precisaria de ter mais, mas o espaço começa a escassear.




Quando era criança sonhava em ter um sofá destes com estofado em capitoné e vermelho, de veludo. Hoje poderia comprar um mas não de couro. Só de tecido. Os meus gatos dariam com ele num fanico em poucos dias, a afiar as unhas.
Aproveite e veja as almofadas,como são costuradas. Bela ideia, não acha?




Um ambiente mais moderno, simples. Se tivesse sido eu a decorar, nunca escolheria esta cor de estante. Branco para que os livros sobressaiam e os possamos ver e eles nos "chamem" para a leitura.


Sofisticado. Não precisa ter luxo para ter livros. Nem o luxo é preciso nas nossas vidas. Apenas o conforto é necessário. Não são os que têm mais luxo nas suas vidas que são mais felizes. 
É quem consegue atingir a felicidade com menos e agradece pela dádiva da vida.



Ambiente de leitura mas também de conversa. Sem conversarmos com outras pessoas vamos-nos tornando mais fechados, mais tristes, mais isolados. Vire-se para fora, seja comunicativo.
Hoje em dia as pessoas fecham-se para estar na internet, cada vez têm mais medo de andar na rua, mais medo de sair, cada dia se isolam mais e quando dão por isso, passaram anos e nada arriscaram por medo.



Sala com biblioteca bem moderna, as próprias estantes e móveis criam a divisória do espaço. Bela colecção de cerâmicas.


Ambientes que pedem recato e silêncio, música baixinho e muita leitura. Dá também para ver a TV, embora considere que num espaço de leitura, esse elemento é muito dispensável. Cada vez vejo menos, sabem que eu até estive a pensar aderir a um grupo que existe por essa Europa,  de pessoas que não têm televisão.
Não sou contra a TV, mas não em doses maciças. Passo dias sem a ligar a não ser para ver o que se passa no mundo ou ver um ou outro filme. Vejo eventualmente um programa de culinária, uma reportagem ou as notícias, mas sem recordar  horários etc. Quem controla os Media, controla as mentes, até Jim  Morrison, o fatídico vocalistas dos Doors, o dizia. Tantas vezes esses que hoje citamos, foram fracos demais e precisaram usar drogas para se refugiar de medos e angústias que a fama trazem, a exposição pública que tira a nossa vida.

O meu lema de vida é aprender cada dia pelo menos uma coisa. Experimentem. Quando era criança tentava  saber dez novas palavras por dia e seus sinónimos. Estou farta de introduzir palavras aos dicionários online. Voltanto aos livros, ferramenta única que nos faz  ser diferentes uns dos outros, porque quem não lê, não aprende, é igual a míope, que vê, mas sem ver bem, vê esbatido (eu sei do que falo, sou míope...). Só a cultura pode acabar com a descriminação seja ela de cariz cultural, tradições, condição social, respeito pelos animais e planeta. Só aprendendo podemos ser grandes e todavia, quando mais aprendemos e há tanto para saber, menos sabemos porque o saber não tem tamanho, o nosso ínfimo em presença das verdades universais, de tudo o que foi dito, escrito, vivido, desenhado, esculpido, falado, por milhões, durante milhões de anos.
Assim com somos o que comemos, também somos o que aprendemos.
Através da leitura nós viajamos, sonhamos, conhecemos outras pessoas, outros mundos, outras realidades. Nada é mais enriquecedor do que a leitura. Através de um livro nós podemos até ser outra pessoa, encarnando num personagem de um qualquer livro que estejamos a ler. Leia, desfrute do saber que outros nos legaram e torne-se uma pessoa mais culta e melhor. Além do mais, vai guardando os livros e formando uma biblioteca que passa a outras pessoas de família. Concordam?




Espaço bem aproveitado, seguindo o esconso da parede. Demasiado escuro para mim, preciso de cores claras e luz.




Ambiente inserido numa sala grande. Para trabalhar e ler. Para ler preciso silêncio no meio ambiente.
A minha casa é no meio de um Bairro todo ele com jardins ao redor dos edifícios, e moro num primeiro andar. Tem um jardim nas traseiras, que, como vos disse  há uns posts atrás,  fui eu que plantei, está agora  lindo. A parte principal da casa é virada para esse lado. Tenho apenas sol  pela manhã.
O silêncio e calma que ela transmite é difícil encontrar noutro local. Paz. Tenho as janelas todas abertas e todo o dia estou a ouvir passarinhos a cantar lá fora, como se a natureza entrasse um pouco, dentro de minha casa. E eu adoro a natureza.




Veja que lindo efeito esta parede, seria um crime tapá-la.
Se quiser fazer algo semelhante, há maneira, dirija-se a uma loja de artes e peça uma pasta em tufo para fazer efeitos sobre a parede. E solte o artista que há dentro de cada um de nós. Todos conseguimos criar, do crochet à pintura há sempre algo que conseguimos fazer bem.

Hoje estou muito introspectiva e peço desculpa a quem não agrada este tipo de desabafos. Espero que gostem das ideias e que voltem mais vezes para me ler e me visitar.
Bom sábado.

Ambientes apresentados via House Beautiful e Pinterest.com/



1 comentário:

maria clara Rosado disse...

Parabéns pelas suas palavras. Nunca se arrependa em manifestar a sua sensibilidade e toda a Luz que está a brilhar dentro de si. Grata!